Por: Tito   •   29/07/2010 às 16:17:15
Categoria: Últimas Notícias



Marizete Moreira é bicampeã da Maratona de São Paulo
Queniano Stanley Biwott vence e fica a 2 segundos do recorde da prova mais rápida da América do Sul
São Paulo (SP) - A baiana radicada em Brasília Marizete Moreira dos Santos conquistou neste domingo o bicampeonato da Maratona Internacional de São Paulo e manteve a hegemonia brasileira na categoria feminina, agora com 13 vitórias nacionais em 16 edições da prova. No masculino, o queniano Stanley Biwott, de apenas 23 anos, ficou a apenas 2 segundos do recorde da competição, que é do brasileiro Vanderlei Cordeiro de Lima, com 2h11min19s, desde 2002. Desta forma, a prova paulistana ratificou sua condição de ser a melhor e mais rápida maratona da América do Sul.

Com um bonito domingo de sol, a prova teve a sua primeira largada, para cadeirantes e handcycles, às 8h10, com 18 graus centígrados e 82% de umidade relativa do ar. A elite feminina saiu pontualmente às 8h22 e a elite masculina, atletas com outras deficiências, corredores de 10K e 25K e participantes da caminhada de 3K largaram às 8h58. No total, a 16ª edição do evento reuniu o número recorde de 20 mil inscritos.

Marizete Moreira e a queniana Margaret Okayo fizeram uma prova ritmada e, por isso, correram praticamente juntas o tempo todo, enquanto o pelotão dianteiro com a alagoana Marily dos Santos e as etíopes Debele Nega e Demse Mesfim saíram mais na frente, tentando quebrar o recorde feminino, de 2h36min07, de Maria Zeferina Baldaia, também de 2002.

Marily liderou a prova até o quilômetro 40, quando as dores no baço aumentaram e as câ;imbras nas coxas ficaram mais fortes. Com isso, ela teve de diminuir o ritmo, acabou ultrapassada, mas mostrou muita coragem para completar o percurso em quarto lugar e sair da pista no colo de um assistente médico para receber massagens e colocar bolsas de gelo nas pernas.

Marizete Moreira, Margaret Okaio e Adriana Aparecida da Silva ultrapassaram Marily praticamente na chegada e comemoraram muito o resultado. "Fiz uma prova conservadora pensando na vitória e não no recorde, principalmente porque a temperatura esquentou no decorrer da prova. Elas saíram muito forte na frente e eu tive paciência para fazer meu ritmo. Estou muito feliz com o bicampeonato", disse Marizete, que reclamou de dores fortes nas pernas nos últimos metros de percurso. "Quando comecei ver o pelotão da frente no km 35, senti que era hora de usar toda a minha energia para tentar a vitória."

Campeã da Maratona de Florianópolis no ano passado e representante do Brasil no Mundial de Berlim, na Alemanha, Adriana disputou pela primeira vez a Maratona de São Paulo e gostou muito. "Sempre ouvi dizer que esta prova era muito dura, mas eu me senti muito bem. Acho que as mudanças feitas no percurso ajudaram", comentou.

Já Marily fez questão de dizer que foi corajosa por não desistir da prova, apesar "das dores insuportáveis" que estava sentindo. "A maratona é uma corrida complicada. Você começa bem, impõe um ritmo um pouco mais forte e depois paga o preço. Por tudo que passei estou sinceramente muito feliz com o quarto lugar e com a minha força", afirmou a atleta radicada na Bahia, que foi a única representante brasileira na Olimpíada de Pequim nesta prova.

Quase recorde - Na categoria masculina, a grande expectativa era para a possível quebra do recorde de Vanderlei Cordeiro de Lima. Os favoritos contaram com ajuda de dois coelhos quenianos (Matthew Chemboy e Marc Korir), uma pequena adequação no percurso e o estímulo de um prêmio especial de R$ 20 mil oferecido pela nova marca.

O único fator que atrapalhou um pouco foi o aumento da temperatura para 24 graus na parte final da prova. O vencedor Stanley Biwott, que correu a segunda maratona de sua vida, ficou triste por não ter conseguido o recorde. "No final da prova, eu sabia que estava muito perto do recorde mas infelizmente não tive forças para dar um sprint. Apenas mantive o ritmo o que não foi suficiente", lembrou Stanley, que se preparou nos últimos três meses para correr em São Paulo. "Apesar de tudo estou feliz com a vitória e quero muito voltar no ano que vem para bater o recorde da competição."

Biwott esteve sempre à frente da prova ao lado do brasileiro Gilberto Silvestre Lopes, que correu 21K, e de seus compatriotas Philip Kiplagat e de Jonathan Kipkorir, que era considerado o favorito por ter 2h07min31s no ano passado em Paris, além dos dois coelhos africanos (atletas contratados para forçar o ritmo de parte da prova). Kipkorir terminou em segundo lugar, enquanto Kiplagat ficou em terceiro.

Quem fez muita festa na chegada também foi Marcos Alexandre Elias, do Cruzeiro, que foi o brasileiro mais bem colocado na prova ao chegar em quarto lugar na maratona. "Corri pela primeira vez a prova inteira e posso dizer que foi preciso muita superação para alcançar este excelente resultado (no ano passado, ele foi um dos coelhos). Ser o primeiro brasileiro me enche de alegria e confiança para as próximas provas", afirmou.

"As mudanças que fizemos este ano no percurso deram ótimo resultado, tanto que o recorde do Vanderlei Cordeiro não caiu porque a temperatura subiu bastante durante a prova. De qualquer forma, a Maratona de São Paulo continua sendo a melhor e a mais rápida da América do Sul", comemorou Thadeus Kassabian, diretor de Operações da Yescom, organizadora do evento, criado e promovido pela TV Globo, que transmitiu a prova masculina para todo o Brasil e para mais de 140 países no mundo.

Todas as provas tiveram largada na Avenida Jornalista Roberto Marinho, no Brooklin, passando logo no início pela Ponte Estaiada, um verdadeiro cartão-postal de São Paulo. A chegada da maratona e dos 10K foram perto do Obelisco do Ibirapuera, enquanto a prova de 25K terminou na Avenida Escola Politécnica¸ao lado do IPT. Já a caminhada de 3K teve a linha de chegada na própria Avenida Jornalista Roberto Marinho.

Numa promoção por causa da Copa do Mundo da África do Sul, a maratona teve uma equipe de revezamento muito especial formada por ex-jogadores de futebol, como Zé Elias, Vampeta, Mauro Silva, Juninho, Caio Ribeiro, Palhinha, Paulo Sérgio, Djalminha, Ronaldão e Zetti.

Resultados Maratona

Masculino

1. Stanley Kipleting Biwott (QUE) - Nike - 2h11min21s
2. Jonathan Kipkorir Kosgei (QUE)- Nike - 2h12min13
3. Philip Kiplagat Biwott (QUE)- Nike - 2h14min08s
4. Marcos Alexandre Elias (BRA) - Cruzeiro - 2h19min45s
5. José Everaldo da Silva Mota (BRA)- Multsport - 2h21min30
6. Paulo da Silva (BRA)- Maria Zeferina - 2h22min31
7. Sergio Celestino da Silva (BRA) - Pinheiros - 2h25min02s
8. Fabiano Gomes dos Santos (BRA)- Briqsul - 2h25min07s
9.José Rubens da Silva - Gráficos Sangar - 2h25min41s
10. José Telles de Souza - Pinheiros - 2h25min54s

Feminino

1. Marizete Moreira dos Santos (BRA) - Caso/Free Corner - 2h39min26s
2. Margaret Okayo (QUE) - Fila - 2h40min23s
3. Adriana Aparecida da Silva (BRA) - Pinheiros - 2h40min56s
4. Marily dos Santos (BRA)- Mizuno/Pojuca - 2h41min39s
5. Debele Wudnesh Nega (ETI)- Nike - 2h42min03s

Vencedores do 10k

Masculino
Ivanildo Dias de Souza (BRA) - Gatorade/Adidas - 31min52s

Feminino
Drielly Aparecida Nunes de Souza (BRA) - 4ºBPM - 39min14s

Vencedores do 25K

Masculino
Edivaldo Pereira de Souza (Branca Esportes) - 1h27m35s

Feminino
Ana Luiza Garcez (avulso) - 1h47m33s

Válida para o Ranking Yescom, para o Ranking CBAt/CAIXA de Corredores de Rua e para o Ranking da Rede Globo/Yescom, a prova foi uma realização da Rede Globo, com organização da Yescom. O patrocínio foi da Caixa e Adidas, patrocínio especial de Fisk, com apoio de TAM Viagens, Montevérgine, Gatorade, Café 3 Corações, HCor e Sabesp. O Hilton São Paulo Morumbi foi o hotel oficial do evento. A supervisão este a cargo da IAAF, CBAt, AIMS e FPA, com apoio especial da Prefeitura de São Paulo e do Governo de São Paulo.

Mais informações no site www.maratonadesaopaulo.com.br

João Pedro Nunes - Mtb - 11.675
E-mail: zdl@zdl.com.br



Deixe seu comentário



Posts Relacionados