Por: Tito   •   14/01/2016 às 14:28:53
Categoria: Atleta em Foco



O Embaixador do Asfalto
 
Não há limites para quem acredita e investe em uma boa ideia. Confira a história do publicitário, que mesmo perdendo a audição criou o primeiro site de corrida de ruas no Brasil e ajudou a escrever a história dessa modalidade no país.
A palavra limite há muito tempo foi apagada do dicionário do corredor amador, publicitário e influencer Harry Thomas Jr. Mesmo perdendo a audição, ele investiu tudo no primeiro site de corrida de rua brasileiro – o Maratona. A ideia surgiu por acaso. No fim do século passado, ele mandou revelar o filme da maratona de Nova York. Em uma das fotos, o corredor amador viu algo que não tinha reparado no momento da prova, uma faixa com o endereço eletrônico de um site de corrida, algo que ele nem pensava que existia. Apostou na ideia, levando informação sobre um tema que ainda engatinhava no Brasil.
O projeto foi um sucesso. Mas, infelizmente, Harry foi perdendo totalmente a audição. Este fato, porém, não o impediu de fazer um barulhão danado na internet e nas Redes Sociais sobre todas as corridas e corredores. Ele está conectado, de olho em tudo. Polêmica é com ele mesmo.
O criativo está no seu terceiro site – Running News – e acaba de fazer uma cirurgia (Implante Coclear). Agora Harry está reaprendendo a ouvir. Detalhe, o cara faz leitura labial tão bem que muita gente duvida que ele um dia não escutou. Saiba um pouco mais do nosso embaixador da corrida de rua, com quem bati um papo gostoso às vésperas da cirurgia. #CorridaParaTodos
 
Já gostava de praticar esportes na infância?
Nasci e moro até hoje na Bela Vista, no Edifício dr Armando Arruda Pereira, na Rua Japurá (projeto de Le Corbusier – amplas residências de concreto), em frente a Câmara Municipal de São Paulo. Era muito legal, saia correndo com os amigos dos 288 apartamentos pelos corredores de 200m. São 14 andares. À tarde gostava de ir brincar na sessão de brinquedos do Mappin (onde hoje é o Shopping Light). Tinha uma turma de rua enorme. Minha mãe ficou sócia do Palmeiras, torço para o São Paulo, e comecei a praticar natação aos 13 anos. Era o tipo de moleque que usou calção até os 18 anos, sempre imundo de tanto brincar o dia inteiro.
Quando a corrida entrou na sua vida?
O esporte entrou na minha vida na 5a. série. Com o professor de Educação Física, Danilo. Naquela época o horário da escola era das 10h, as 15h – e a educação física era as 13h. Na primeira aula corremos três minutos direto. No final do ano letivo estava correndo 30 minutos.
Como  perdeu a audição?
Perdi a audição aos poucos, desde um mergulho na piscina do Clube Palmeiras ao 15 anos. Quem mandou eu nadar em piscina de porco? rsrsr. Entrou água no ouvido e à noite começou a doer muito. Furou o tímpano. Parei de ouvir a campainha do fone em 1997. No mesmo ano trabalhava na Sadia, boa parte do tempo ao fone em pesquisas. Pedi para colocar um amplificador no aparelho pra conseguir ouvir, mas mesmo assim ficou difícil. Comecei a me  estressar  por não conseguir entender tudo o que estavam falando nas reuniões. Em 2000 perdi totalmente a audição. Mesmo com o aparelho auditivo não consigo ouvir bem – só os barulhos bem forte, como uma britadeira, uma helicóptero bem perto, um caminhão, uma moto bem barulhenta. Há uma diferença entre entender e ouvir. Eu entendo bem, aprendi sozinho a leitura labial, mas não consigo ler bem os lábio de quem usa bigode grande, quem tem a língua presa ou sofreu AVC.  Gosto de dar este exemplo: “Um senhor de uns 91 anos me pediu para ajudá-lo a atravessar uma avenida grande. Pensei, vou fazer minha ação do dia. Quando terminamos de cruzar a rua – soltei o braço dele e ele perguntou: Qual motel vamos? rsrsrs Ele não queria atravessar a rua, mas sim transar comigo rsrsrrs
Onde trabalha?
Sou  publisher. Dono do meu próprio site de corrida – Running News. Trabalho de casa. Também sou colunista da revista “Sport&Life”. Sempre faço parcerias com as marcas esportivas para meus projetos, como correr ultramaratonas. Criei o site Maratona, em 1999 para cobrir as cinco maratonas brasileiras, fez tanto sucesso que logo já tinha me associado a um portal, para postar notícias diárias. Eu corro desde 1994. Sou apaixonado por corrida de rua, tenho  28 maratonas no currículo. Tive a ideia do primeiro site de corrida de rua no Brasil em 1997. Na volta da Maratona de NY mandei revelar os filmes e reparei que havia na largada uma faixa com um endereço eletrônico  – era um site de corrida. Pesquisei e descobri  que ainda não tinha nenhum no Brasil. Contratei um webdesigner e fiz o site. Um investimento de US$ 5 mil – que eram R$ 5 mil é época
 
Fonte: O Estado de São Paulo 14/01/2016


Deixe seu comentário



Posts Relacionados